Compliance e Combate ao Branqueamento de Capitais


DESTINATÁRIOS Este curso é elaborado para juristas, gestores, economistas e engenheiros com experiência e conhecimentos adquiridos na prática profissional na área do Compliance e Branqueamento de Capitais, bem como outros profissionais, interessados em aumentar os seus conhecimentos. COORDENADOR CIENTÍFICO: Professor Doutor José Octávio Serra Van-Dúnem A gestão do curso é da responsabilidade do Centro de Estudos de Ciências Jurídico Económicas e Sociais da Universidade Agostinho Neto, sob orientação geral do Director do Centro, coadjuvado pelo Conselho Científico do CEJES como órgão de decisão das actividades académicas e científicas. CORPO DOCENTE Integram o corpo docente desta pós-graduação professores, nacionais e estrangeiros, com grande experiência académica e profissional no domínio de cada um dos módulos que integram o curso. O CEJES identifica, a cada ano, um corpo docente com reputada experiência profissional, que possa dar resposta às necessidades concretas sentidas pelos estudantes no seu dia-a-dia profissional assegurando a base científica sólida fundamental a um curso de pós-graduação. ENSINO No processo de ensino aprendizagem será privilegiada a criação de condições para que o aluno possa receber e produzir o conhecimento, munindo-os dos instrumentos necessários para aprofundar os conhecimentos, habilidades e valores alcançados na sala de aula, investigando por forma a complementar quer os fundamentos teóricos relevantes ao curso, quer os instrumentos para a resolução de problemas de investigação, assim como os práticos. Deste modo as aulas serão ministradas com recurso a diversos métodos de exposição, com auxílio de projecções em Power Point sempre primando por uma orientação teórico prática, baseada na acessibilidade dos conteúdos pelos alunos e na máxima interacção Professor/Estudante. Além disto, serão promovidos debates, conferências, e actividades práticas, com vista a dinamizar o processo de ensino, bem como facilitar a partilha de ideias entre os estudantes e demais actores do processo, em vista a consolidação dos conhecimentos adquiridos. Finalmente o curso contará também com a realização de seminários, com convidados de referência do sector e que possam transmitir de forma inovadora as melhores práticas do sector. Em todo o processo, o docente terá papel facilitador, ou moderador, e não de mero transmissor de conhecimentos. AVALIAÇÃO Para efeitos de avaliação adopta-se a escala de 0-20 valores. A avaliação será feita através de apresentação de trabalhos individuais, trabalhos de grupo e no final de cada disciplina pela elaboração de um artigo sobre algum tema da disciplina, ou pela realização de um exame escrito. Estes mecanismos de avaliação visam aferir as competências, habilidades e valores assimilados pelos estudantes assim como resultados do processo de ensino e aprendizagem, com destaque para os seguintes elementos:

  • Capacidade de retenção e transmissão (de forma oral e escrita) dos conhecimentos assimilados ao longo do curso;
  • Competências adquiridas ao longo do curso;
  • Capacidade de combinação da teoria e da prática, consubstanciada na investigação cientifica, assim como na interpretação de situações reais;
  • Motivação para o diálogo com os pares, partilha, discussão e produção de conhecimento como um processo social e não individual / isolado;
  • Distinguir e identificar estudantes a partir das suas habilidades e competências, como forma de contribuir para a sua inserção no mercado de trabalho relevante.

Os mecanismos de avaliação, sem prejuízo dos instrumentos reguladores da matéria vigentes na UAN, deverão ser indicados nos programas de cada disciplina, devendo incluir obrigatoriamente um trabalho escrito individual. De um modo geral, a avaliação dará ênfase ao processo de aprendizagem, assumindo a óptica da investigação. Neste sentido, a avaliação desenvolver-se-á de forma compartilhada entre professores, coordenação e alunos procurando compreender o processo de construção do conhecimento na prática. Devido à natureza interactiva desse processo, o diálogo constituirá base principal da avaliação, cabendo aos professores a iniciativa de proporcionar os estímulos e incentivos necessários ao desenvolvimento dessa prática pedagógica, respeitando e estimulando o aluno – parceiro activo nessa interacção, por meio de variadas actividades, tarefas e exercícios. ORGANIZAÇÃO O curso em questão terá a duração de dois semestres. As aulas serão ministradas de terças e quintas-feiras, no horário das 14h às 19h, nas instalações da Faculdade de Direito da UAN. As aulas serão expositivas (componente teórica) e complementadas com a discussão de casos práticos que permitam aos estudantes aplicar os seus conhecimentos (componente prática). Promover-se-ão debates em grupos de estudantes, com discussão crítica sobre temas relacionados com a matéria leccionada. CANDIDATOS: 20 NÚMEROS CLAUSUS: 25 alunos CALENDÁRIO: 1º Ano: De Maio a Dezembro de 2016. PROPINAS E TAXAS Propina: 700.000,00 AKZ Taxa de Inscrição: 25.000,00 AKZ  

Módulo Disciplina
1 Enquadramento normativo nacional e internacional
2 Unidade de informação financeira e sistema CBC/CFT
3 Obrigações CBC/CFT
4 Operações técnicas de branqueamento de capitais
5 Regime penal e transgressional
6 Compliance
7 Políticas de segurança
8 Corporate governance
9 Prática judiciaria de CBC e CFT
10 Gestão de equipas e de informação confidencial
Seminário Metodologia de investigação científica